Como separar material ligado a serviço de saúde para destinação correta?

Se levarmos em conta, que pelo menos 40% das cidades brasileiras não há a destinação correta do lixo hospitalar, teremos uma noção muito séria do grave problema ambiental que podemos enfrentar em nosso país.
Devido a toda a composição, os lixos hospitalares acabam apresentando um grande perigo tanto para a saúde pública como para o meio ambiente, uma vez que estes resíduos poderão inclusive estar contaminados ou devidamente infectados, por este motivo precisam receber um tratamento específico antes de sua destinação.
O lixo hospitalar doméstico, que é composto por seringas, restos de medicamentos, ataduras, fraldas, gazes, entre outros, precisam ser devidamente selecionados uma vez que podem estar também contaminados e não poderão ser destinados como um tipo de lixo comum.
Os resíduos especiais, são compostos de materiais químicos, bem como materiais farmacêuticos, e radioativos.
Os resíduos gerais, por sua vez, são gerados em áreas administrativas, como as sucatas, embalagens, resíduos de alimentos, entre outras coisas.
Os resíduos infecciosos por sua vez, acabam vindo a partir de materiais como por exemplo os drenos, gazes, materiais com presença de sangue humano, resíduos de diagnósticos, sondas, entre outros materiais.
Existem ainda alguns grupos de qualificação que são destinados este tipo de material ao meio ambiente conforme seu descarte.
Sobre os grupos 1, 2 e 3
No grupo 1 por exemplo, podemos citar os materiais radioativos que acabam recebendo uma devida destinação com a regulação de sua comissão nacional de energia nuclear, e sendo os hospitais responsáveis por toda a sua destinação final. Os materiais farmacêuticos deverão ser devolvidos conforme os seus fabricantes, sendo estes os responsáveis por toda a sua destinação final.
No grupo 2 temos os materiais separados passíveis de reciclagem deverão ser destinados para uma reciclagem de forma interna do próprio hospital determinado.
Já no grupo 3 temos os perfurocortantes que deverão ser alocados nas caixas de papelão específicas para este tipo de finalidade, além disto, os demais resíduos deverão ser devidamente alocados em sacos plásticos brancos, e devidamente identificados com materiais infectantes, e a sua destruição final poderá ser tanto por um sistema de incineração como também coleta especial para depósitos em aterros.
Levando em conta todas estas importantes informações, conforme as normas específicas, todos os materiais que são provenientes e destacados como lixo hospitalar devem ser descartados e colocados em embalagens diferenciadas da forma citada acima, respeitando as especificações de sua norma.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *